13 outubro, 2010

Ainda há esperança afinal

Nas semanas que têm passado muito tenho pensado sobre os mineiros chilenos que têm estado presos na mina. Quase todos os dias me tenho questionado sobre de que forma toda esta desgraça iria terminar. Por isso foi com lágrimas nos olhos que hoje vi de manhã a notícia que estavam a começar a sair da mina. Comovida com a união de esforços que levou a que não se desistisse daquelas vidas que ficaram encurraladas por estarem a trabalhar, por estarem a ganhar a vida numa das profissões que mais me atormenta, porque a acho quase desumana. A morte só por si atormenta, mas quando esse destino é encontrado numa situação de trabalho, revolta-me. Porque ninguém merece encontrar o fim, quando afinal apenas tentava ganhar a vida.

Hoje de manhã ganhei nova esperança. Se calhar ainda existe algum humanismo na humanidade.

3 comentários:

Sandra e Dinis disse...

Carla, por causa de uma insónia vi em directo e as lágrimas vieram aos olhos.

Sim, é com muita fé que estes homens durante 70 dias sobreviveram soterrados. E dia 13 foi um dia de sorte para aqueles 33 homens.

Bjs

Catia, a mãe do Puts... disse...

Partilho a 300% as tuas palavras, sempre pensei que iriam desistir destas pessoas..
Mas todo o cuidado nesta acção de salvamento é comovente e inevitavelmente uma prova de esforços conjuntos para um futuro melhor destas pessoas..

Bala disse...

Gosto de pensar positivo, achei sempre que os íam tirar de lá mas, confesso que nem sempre achei que eles aguentassem a pressão de estar 24/24 fechados, às "escuras" e a olhar permamentemente para as mesmas caras.

Afinal, quis Deus que tudo se resolvesse muito mais depressa do que se esperava e que o final fosse o que todos desejávamos. Arrepiei-me a vê-los sair...tal como me arrepio agora a falar no assunto. O Mundo esteve com eles!

Bjinhos