03 setembro, 2011

Do fim das férias

Eu já aqui passo pouco, e imagino que o mesmo aconteça com toda a gente que aqui conheci, no entanto, porque sinto que devo dizer aqui vai.

As nossas férias de praia acabaram no passado Domingo. Pensei que teria uma semana de descanso pois ainda teria uma semana até regressar ao trabalho. Na segunda-feira tivemos consulta com o otorrino do Pedro, que nos disse que a situação dele se mantinha: duas otites serosas que não melhoraram com o Verão. Disse-nos que nos deixava a pensar sobre o assunto, pois de acordo com a opinião dele sendo as amígdalas do Pedro tão grandes, quando estivesse a dormir de barriga para cima ele continuaria a ter dificuldades em respirar, e eu cada vez mais a sentir-me a pior mãe da Terra, acabei por lhe perguntar quando podia operar. Assim, e contra a minha vontade, mas de acordo comigo mesma, a cirurgia ficou marcada para dia 31 de Agosto no Hospital dos Lusíadas. Tudo o mais rapidamente possível, para eu não pensar, para que ninguém soubesse de nada e pronto. Deu entrada no hospital às 14 e a admissão ao internamento demorou uma eternidade. Deu entrada no bloco operatório, comigo, às 17h30 e fui ter com ele ao recobro às 18h30. Foi definitivamente um dos piores dias da minha vida, acredito que também terá sido um dos piores da vida dele. Teve alta no dia 1 de Setembro às 9 horas.

Correu tudo bem, e neste momento está a tentar aprender a viver sem adenoides, sem amígdalas e com "tubinhos" nos ouvidos. Mudou o timbre da voz, o que a mim me soa muito estranho. Não sei se tomei a melhor decisão, mas já está tomada. Que ele agora respira muito melhor, sem dúvida, se nos ouve melhor ainda não percebi. O médico disse-me que um dos ouvidos estava cheio de pus e o outro ainda que melhor, também lhe devia causar algum problema. As amígdalas eram efectivamente gigantescas...

Do último dia de Agosto deste ano ficam-me as memórias de um menino bondoso, completamente desorientado com uma anestesia, - a qual eu temia mais tudo - imagens que me comovem e magoam porque o "sujeitei" a isso. Espero efectivamente que tenha sido para a qualidade de vida dele, que permiti que lhe tirassem "órgãos".

Assim terminam as minhas férias. Segunda-feira volto ao trabalho.

8 comentários:

Mariah disse...

Agora relembraste-me um problema ainda não resolvido.Ainda não sei se o João terá que ser operado ou nao, tb por causa das otites. Este mês saberei. Fizeste o que achaste que era melhor para ele, disso não tenhas dúvidas. Um beijo para ti e para o Pedro

Barriguita disse...

pois... o Pedro foi operado em Abril e sei bem o que é vê-los a receber a anestesia, depois no recobro. Agora vai ter de ser operado como o teu filho, e fico de coração apertadinho só de te ler.

as melhoras rápidas para o teu pequenito. e bom regresso!

beijocas

)0( disse...

Eu também fui operada para retirar os adenóides, mais ou menos com a idade do Pedro.
Ainda bem que correu tudo pelo melhor e que já se notam melhoras no modo como respira.
Um beijinho e bom regresso ao trabalho.

Bala disse...

A operação é uma chatice, mas fizeste-o para melhorar a qualidade de vida do Pedro. Foca-te nisso!

É bom ter notícias vossas. :)

Bjinhos e bom regresso!

Isabel disse...

Um beijinho muito grande e os desejos de rápidas melhoras!

Nany disse...

Sabes que o Pedrocas foi operado com 2 anos e colocou os benditos tubinhos nos ouvidos. A verdade é que ouve melhor, fala melhor, come melhor desde então.
O pior foi mesmo o recobro, apesar de um dos ouvidos ter um furinho que vai ser tapado com o tempo, não me esqueço nunca do choro, da desorientação, da angustia dele por não perceber nada. Ainda hoje doi mas sei que tomei a melhor decisão.
dá tempo ao tempo e deixa-o recuperar.
bjs e as melhoras

Mónica disse...

O meu, depois de ser operado, (removeu adenóides e colocou, pela 2ª vez, tubinhos) nunca mais teve otites.
este ano já foi para a praia sem fita nem tampões (e já com os tubinhos retirados) e foi uma maravilha :)
E nada de otites.
Vais ver que vai melhorar ;)
Beijocas

mar disse...

Olá linda, ainda bem que correu pelo melhor. Tudo vai passar, vais ver. Não te sintas mal pois quem somos nós para saber o que é melhor nesse aspeto? Temos de confiar nos profissionais de saude.Mas percebo bem a tua angustia, custa-nos muito ve-los assim, mas vais ver que daqui a uns tempos ele já nem se lembra. Um beijinho grande grande.