28 junho, 2010

Pensamento

Cresci rodeada de meninas que diziam que o melhor dia da vida delas, o dia com o qual sonhavam, era o dia do casamento. Já naquela altura achava que o casamento era um contrato, porque só assim se justificava tantas assinaturas num papel.

Sempre disse que o melhor dia da minha vida, aquele em que eu sabia que a minha vida ia mudar, era o dia em que tivesse um filho.

Tola a adolescência. Como eu me enganei. O melhor dia da minha vida tem sido sempre o último. Sim, este que acabei de viver. Porque cada vez que olho para os meus rapazes não consigo esconder um sorriso (e porque havia eu de o esconder?), não consigo desligar-me do que vivi com eles. Não consigo deixar de me sentir fascinada pelas aquisições deles:

O Pedro que está travesso até mais não, mas é um miúdo esperto, autónomo e quase (ou efectivamente) perigoso porque é demasiado confiante. Adoro ver como domina a linguagem, como tem gostos tão semelhantes aos nossos (menos na alimentação, o que me leva tantas vezes a questionar se é mesmo nosso filho.... É nosso, é, eu sei...). Gosto do deslumbramento dele quando descobre alguma coisa que gosta, ou quando soluciona alguma coisa que estava difícil.

Adoro ver o André a começar a aventura da mobilidade, a ensaiar o gatinhar no chão da sala, e a aterrar de nariz no chão, mas sempre feliz. Já rasteja para todo o lado e consegue sempre alcançar as coisas em que coloca a vista. Acabou o sossego do irmão, porque rasteja sempre até aos brinquedos dele. Curioso com tudo, mas sobretudo com o barulho feito pelas pessoas. Comilão, este não nega a paternidade, e se o querem ver feliz é dar-lhe pão para a mão, o que já motivou um valente engasganço.

Vê-los crescer é sem dúvida a maior aventura da minha vida. Preenchem-me a vida completamente, mas não deixo de ter pena de saber que não vou ter mais nenhum filho... A menos que me saia o euromilhões, claro!!!!

4 comentários:

joana disse...

ser mãe tb me preenche a 100%! É todo um processo mágico, desde o gerarmos a vida dentro de nós até os vermos crescer! Eu cada vez mais me convenço que vou ao 3º!

beijocas

Nany disse...

Ser mãe é mesmo o melhor do mundo.
O casamento é um dia de festa, estamos apaixonados, ansiamos, preparamos e depois corre demasiado depressa, o típico da montanha que pariu um rato.
O dia do nascimento de um filho é único e insubstituível, e vê-los crescer é do melhor.
Bjs

Rita disse...

Está guardada esta frase: "O melhor dia da minha vida tem sido sempre o último"
Que LINDA mesmo.
Que pensares assim!! E que lindos meninos tens!! És uma mãe fantástica sem dúvida :D

Bala disse...

Carla,
é isso mesmo. "O melhor dia da minha vida é sempre o último".
O hoje!

Adorei este post. Diz-me tanto!

Bjinhos